o dia 17 de setembro, ocorre o terceiro encontro do ciclo de palestras “Arredores da imagem: zona de investigações poéticas”, cuja programação deste ano tem lugar no MARGS. O convidado desta vez é o jornalista Roger Lerina, cuja fala se intitula “A tela porosa: o cinema que se infecta de imagens” (leia mais abaixo). O evento ocorre no auditório do MARGS, a partir das 17h.

Os dois primeiros encontros tiveram como convidado o escritor e jornalista Juremir Machado da Silva e a artista Vera Chaves Barcellos. Até dezembro, o ciclo de palestras vai trazer ao MARGS nomes de personalidades de destaque do cenário cultural, para conversar com o público em encontros mensais, às terças-feiras, sobre temas relacionados à imagem. A entrada é gratuita, e os espaços serão preenchidos por ordem de chegada. Entre os próximos convidados, estão Sandra Mara Corazza, Paola Zordan, Anelise de Carli, Edson Luiz André de Sousa, Claudio Levitan e Vanessa Silla (veja programação completa abaixo).

“Arredores da imagem: zona de investigações poéticas” é uma ação de extensão vinculada à FACED/UFRGS, com coordenação do professor e pesquisador Cristiano Bedin da Costa (DEC/FACED/UFRGS). Configura-se como um espaço de circulação e compartilhamento de investigações transdisciplinares em torno da noção de imagem e de suas multiplicidades teóricas e existenciais.

O vínculo entre universidade e museu é, assim, parte de uma triangulação plástica na qual o terceiro vértice é tão variável quanto decisivo: indagar, desde as artes, da literatura e da filosofia, o estatuto da imagem enquanto potência significante, é também recolher traços com vistas à composição de visibilidades outras para as diferentes práticas com as quais arquitetamos a nossa contemporaneidade. Um modo de viver junto entre-Vistas.

Entre proposições teóricas e procedimentos criadores vinculados às artes, à literatura e à filosofia, a proposta é estudar o estatuto da imagem na contemporaneidade, tendo-a como intercessora do pensamento em educação. O objetivo é estudar e discutir, desde diferentes campos de criação e respectivas proposições experimentais e conceituais, os modos através dos quais a imagem, em sua dimensão poética, pode se configurar como um intercessor para o pensamento em educação.

 

ARGUMENTO GERAL

Em Educação, questionar a imagem é antes alinhar-se à contemporaneidade em suas urgências. Frente à múltipla proliferação de imagens que caracteriza o nosso tempo, voltamo-nos a Italo Calvino e a defesa de uma pedagogia da imaginação enquanto exercício de um pensar por imagens, ou seja, uma pedagogia capaz de pôr em foco visões de olhos fechados, aptas a se inscreverem no real por meio de visibilidades inéditas: de currículo, de didática, de aula, de vida. Desse modo, indagar, desde as artes, a filosofia e a literatura, o estatuto da imagem enquanto potência significante, é também recolher traços para a composição de realidades outras para as práticas de pesquisa e docência, vinculando-as assim ao exercício de pensamento enquanto criação de novos sentidos. Nos arredores da imagem, talvez seja possível pensar em um conhecimento e em uma aprendizagem capazes de se configurar enquanto testemunhos não de uma Verdade, mas sim de um gesto poético.

 

ARREDORES DA IMAGEM – PROGRAMAÇÃO 2019

> 16/07/19: Juremir Machado da Silva

> 06/08/19: Vera Chaves Barcellos

> 17/09/19: Roger Lerina

> 29/10/19: Sandra Mara Corazza e Paola Zordan

> 26/11/19: Anelise de Carli e Edson Luiz André de Sousa

> 10/12/19: Claudio Levitan e Vanessa Silla

> Peça teatral El juego de Antonia, com Luciana Paz e Sergio Lulkin (horário e local a definir).

Todos os encontros são gratuitos e abertos à comunidade.

Informações: autonomaz@ufrgs.br

 

“A TELA POROSA: O CINEMA QUE SE INFECTA DE IMAGENS”

Cinema expandido, transcinema, cinema ambiental. Desde meados dos anos 1960, cineastas e artistas vêm alargando o caráter convergente do cinema ao explorar cada vez mais a confluência de mídias no campo da imagem. Mas cinema e audiovisual são também indústria e comércio, atrelados à cultura de massas e ao sucesso financeiro. Essas imagens “contaminadas” de outras linguagens conseguiriam cativar um público mais amplo, para além do cinéfilo experimental e do apreciador de artes visuais?

Parceria entre o MARGS e a Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, o ciclo de palestras Arredores da imagem configura-se como um espaço de circulação e compartilhamento de investigações transdisciplinares em torno da noção de imagem e de suas multiplicidades teóricas e existenciais.

 

SOBRE ROGER LERINA

Considerado um dos principais jornalistas culturais do Brasil, Roger Lerina é editor do site que leva sua marca, apresentador da Dicas de Quinta – uma coluna semanal de cultura no programa Sintonia da Rádio União FM, do podcast Cinema Falado na rádio Mínima, escreve uma coluna mensal no caderno Stilo do jornal NH e é repórter correspondente e comentarista de cinema do Canal Brasil (Globosat). Atua também como crítico de cinema, roteirista de eventos e projetos audiovisuais, curador de festivais de música e cinema, mestre de cerimônias em eventos e DJ nas (pouquíssimas) horas vagas, além de participar de júris em editais e premiações da área cultural.

Por quase 20 anos Roger trabalhou no jornal Zero Hora, onde tinha a coluna Contracapa – um espaço dedicado a notícias sobre música, cinema, artes visuais, teatro, dança e comportamento. Entre 2011 e 2015, apresentou o Programa do Roger, um programa de televisão diário dedicado à cultura na extinta TVCOM. É autor de três livros e tem artigos publicados em diversas revistas e coletâneas sobre cinema.

É autor dos livros “Mauro Soares – A Luz no Protagonista” (2015), volume da coleção Gaúchos em Cena, publicada pelo festival Porto Alegre Em Cena, “Ayrton Patineti dos Anjos: Lembranças, Sons e Delírios de um Produtor Musical” (Algo Mais Editora, 2018), biografia escrita em parceria com o jornalista Márcio Pinheiro, e “Escola Projeto 30 Anos: Livro, Música e Arte Fazendo Parte” (Editora Projeto, 2018). Participou com textos críticos das coletâneas “Os Filmes que Sonhamos: Coleção Lume Filmes Vol. 1” (Lume Filmes, 2011), “100 Melhores Filmes Brasileiros” (Abraccine/Letramento/Canal Brasil, 2016), “Documentário Brasileiro – 100 Filmes Essenciais” (Abraccine/Letramento/Canal Brasil, 2017) e “Animação Brasileira – 100 Filmes Essenciais” (Abraccine/ABCA/Letramento/Canal Brasil, 2018). Editou pela Artes & Ofícios Editora, entre outros títulos, a coletânea de textos “Cinema – Um Zapping de Lumière a Tarantino” (1995), de Luiz Carlos Merten, crítico de cinema do jornal O Estado de S. Paulo.

Roteirizou os quatro episódios da série de documentários para a televisão “Sul sem Fronteiras” (2000), sobre aspectos da cultura e da história gaúchas, produzida pela Zeppelin Produções e veiculada nacionalmente pela rede TVE. Foi corroteirista da minissérie “Tá no Sangue – Os Fagundes”, veiculada pela RBS TV em 2016.

Foi curador da Mostra de Longas-Metragens do 10º Festival Internacional de Cinema da Fronteira (2018) e do 11º Festival Internacional de Cinema da Fronteira (2019).

Entre proposições teóricas e procedimentos criadores vinculados às artes, à literatura e à filosofia, a proposta é estudar o estatuto da imagem na contemporaneidade, tendo-a como intercessora do pensamento em educação. O objetivo é estudar e discutir, desde diferentes campos de criação e  respectivas proposições experimentais e conceituais, os modos através dos quais a imagem, em sua dimensão poética, pode se configurar como um intercessor para o pensamento em educação.

 

SERVIÇO

Ciclo de palestras “Arredores da imagem”

Convidado: Roger Lerina

Data: 17.09.2019, às 17h

Local: Auditório do MARGS

Capacidade: 60 lugares (preenchidos por ordem de chegada) Entrada Franca

O MARGS funciona de terças a domingos, das 10h às 19h, sempre com entrada gratuita. Visitas mediadas podem ser agendadas no e-mail educativo@margs.rs.gov.br

 

Leave a Reply