GRUPOS DE ESTUDOS E CURSO – Com Giovanna Bartucci (Psicanalista)

image001manet image002bacon image003orion
Édouard Manet – “Olympia” (1863)/ Francis Bacon – “Head IV” (1949)/ Alexandre Órion – “Metabiótica 8” (2003)

FREUD E A CULTURA À LUZ DA CONTEMPORANEIDADE

Em “O mal-estar na cultura” (1930), Freud deixa claro que não faz distinção entre os termos “cultura” e “civilização”, na medida em que é por meio da apropriação da Kultur (conjunto de produções humanas tanto sociais, quanto culturais) que o sujeito realiza a sua Bildung (formação pessoal).

Conteúdo Programático

  • A modernidade instituída; o tempo e o espaço
  • A modernidade e a criação da Psicanálise
  • O homem freudiano moderno
  • Moderno, Pós-moderno, Contemporâneo?
  • O totem e o tabu, as massas e o eu, o futuro de uma ilusão
  • O mal-estar contemporâneo e o homem freudiano pós-moderno
  • O homem freudiano pós-moderno e os movimentos sócio-culturais contemporâneos

Dia e horário: Encontros quinzenais, às segundas-feiras, das 20h15 às 21h45; ou, às sextas-feiras, das 10h às 11h30

Início: 08 de Setembro de 2014

Local: Rua Maranhão, 554 – cj. 13. Higienópolis – CEP.: 01240-904 – São Paulo – SP

Informações e inscrições: Tels.: (11) 2691-5885; (11) 98202-3917 – email: gbartucc@uol.com.br

 

image001freud

A CLÍNICA PSICANALÍTICA À LUZ DO CONTEMPORÂNEO

“L’analyse: un droit d’asile pour ce qui nous vient d’une terre étrangère, d’un continent lointain, pour tout ce qui migre.” J.-B. Pontalis, 1997.

Apresentação: De fato, a experiência psicanalítica corresponde a “um direito de asilo àqueles que nos chegam de uma terra estrangeira, de um continente distante, à todos aqueles que migram” (Pontalis, 1997). É nessa medida que entendo que a análise é um lugar. Um lugar onde nos permitimos desmanchar em palavras, dores, odores, fatos e olfatos, gestos e, acima de tudo, uma permanente tentativa de despir-nos daquilo que nos encobre. Tal experiência pressupõe, necessariamente, um outro que escute, que silencie, que pontue, que interprete. Um outro que, para além de “suposto-saber”, seja ele mesmo esse lugar, encarne esse lugar, para que no momento que nele, lugar, adentremos, deixe ele mesmo de ser este corpo, para estar esse lugar.

Dia e horário: Encontros quinzenais, às segundas-feiras, das 20h15 às 21h45;
ou, às sextas-feiras, das 10h às 11h30

Início: 15 de Setembro de 2014

Local: Rua Maranhão, 554 – cj. 13. Higienópolis
CEP.: 01240-904 – São Paulo – SP

Informações e inscrições: Tels.: (11) 2691-5885; (11) 98202-3917 – email: gbartucc@uol.com.br

 

image006cinema

CURSO: O CINEMA DE BERTOLUCCI NO DIVÃ

Apresentação:

Bernardo Bertolucci é filho da Modernidade e, como tal, a sua cinematografia é representativa de uma época. Sua íntima relação com a psicanálise (derivada de sua análise pessoal) permitiu que ele a utilizasse, acrescida à linguagem cinematográfica, como instrumento de trabalho na construção de sua obra. Leia mais >>>

Encontros:

1 e 2. “Antes da Revolução” (1964)

3 e 4. “Último Tango em Paris” (1972)

5 e 6. “La Luna” (1979)

7 e 8. “Eu e Você” (2012)

Dia e horário: Encontros semanais, às sextas feiras, das 17h30 as 19h

Duração: 12 de setembro à 31 de outubro de 2014.

Informações e inscrições: Tels.: (11) 2691-5885; (11) 98202-3917 – email: gbartucc@uol.com.br

Categoria: Cursos / permalink.