MARIZA BERTOLI, ABCA/SP, DA COMISSÃO ORGANIZADORA DO II FÓRUM PERMANENTE DE REFLEXÃO SOBRE A ARTE DA AMÉRICA LATINA CONVIDA PARA CICLO DE PALESTRAS

“O Paraguai que nós vemos”
II Fórum Permanente de Reflexão sobre a Arte da América Latina

O II Fórum Permanente de Reflexão sobre a Arte da América Latina, coloca em debate aspectos da cultura e da arte do Paraguai, a partir da  língua  guarani,  da  preservação  dos  bens  culturais,  enfocando aspectos  da  tradição,  das  vanguardas  e  do  universo  simbólico.
Apresentaremos um panorama da produção cultural  contemporânea  e das artes visuais. 
 
 
Dia 03 de dezembro de 2011
Das 14h as 19h
Teatro Studio 184
Praça Roosevelt, 184 – São Paulo/SP
 

PROGRAMA
 
14h Apresentação de vídeo-clipe 
Mary Pearce. Pesquisadora independente em arte, estética e novas mídias. Mestre em Artes Visuais pela University of Essex e Doutorado pela Kingston University, Reino Unido. 
 
14h15’ Abertura
Dilma de Melo Silva. Professora doutora da ECA/USP, socióloga pela FFLCH/USP, diretora-presidente da Sociedade Científica de Estudos de Arte – CESA.
 
Mesa 1 – Diálogos com a cultura guarani e seus patrimônios
 
14h30’ A sobrevivência da Língua Guarani no Paraguai e na América do Sul: o
despertar da militância cultural
Mario Villalba. Mestre em Integração da América Latina pelo Prolam/USP. Professor de Guarani nos cursos de Extensão Universitária da USP e PUC de São Paulo.
 
15h Paraguai-Brasil: diálogos sobre o patrimônio cultural na década de 1960
Maria Sabina Uribarren. Doutoranda em História da Arquitetura e do Urbanismo pela FAU/USP.
Fundadora do CICOP- Centro Internacional para a preservação do Patrimônio/ Brasil.
 
15h30’ Mulheres que fazem cântaros: cerâmica indígena Guarany do Paraguai
Lalada Dalglish. Professora doutora em Integração da América Latina pelo Prolam/USP. Coordenadora do Curso de Artes Visuais do Instituto de Arte da UNESP.
 
Mediação Adriana Gianvecchio. Historiadora pela FFLCH/USP. Especialista em Preservação e
Restauro do Patrimônio. Mestre em Estética e História da Arte pela USP. Doutoranda em História da Arquitetura e do Urbanismo pela FAU/USP. 
 
16h Intervalo
 
Mesa 2 – Diálogos com artistas e o universo simbólico
 
16h15’ Livio Abramo e os artistas do Paraguai 
Margarida Nepomuceno. Jornalista e editora. Especialista em Estudos de Museus de Arte pelo MAC/USP e em História da Arte pela FAAP/SP. Mestre em Integração da América Latina pelo Prolam/USP.
 
16h45’ Artistas callejeros: Arte urbana na América Latina e o caso de Assunção 
Alessandra Melo Simões. Jornalista. Mestre em Estética e História da Arte pela USP. Doutoranda em Integração da América Latina pelo Prolam/USP. Membro da ABCA/SP.

17h15’
Símbolos recorrentes na arte contemporânea do Paraguai
Mariza Bertoli. Doutora em Integração da America Latina pelo Prolam/USP. Crítica de Arte e membro da ABCA/SP. Membro da diretoria da CESA.
 
Mediação. Simone Rocha Abreu. Doutoranda e Mestre em Integração da América Latina pelo Prolam/USP. Especialista em História da Arte pela Unesp.
 
17h45’ Debates
 
19h Encerramento  
   

II Fórum Permanente discute arte e cultura do Paraguai

Margarida Nepomuceno

 

 

 

II Fórum Permanente discute arte e cultura do Paraguai

Margarida Nepomuceno

     A arte e a cultura do Paraguai serão o tema central do II Fórum Permanente de Reflexão sobre a Arte da América Latina a ser realizado no próximo dia 3 de dezembro, no Teatro Studio 184, na cidade de São Paulo. O encontro é promovido pelo núcleo de pesquisa Arte e Identidade,  juntamente com a CESA- Sociedade Científica de Estudos de Arte, composto por pesquisadores, em sua grande parte do Programa de Integração da América Latina da Universidade de São Paulo, o Prolam,  bem como de outras universidades.

    Temas como a luta pela sobrevivência da língua guarani no Paraguai; a produção da cerâmica indígena produzida por várias comunidades cooperativadas; a política de preservação do patrimônio cultural do país; a atuação do artista brasileiro Lívio Abramo como mediador cultural entre Paraguai e Brasil a partir da década de 60; além de uma reflexão sobre a arte contemporânea e a arte urbana que se produz  naquele país, revelam um Paraguai com uma profunda tradição cultural e ao mesmo tempo, uma conexão com o que se produz em outros centros. O Paraguai que nós vemos é uma tentativa de revelar aspectos da cultura do país, como seus literatos e artistas, que normalmente são ignorados pela mídia e é resultado de viagens de interação cultural promovidas pelo núcleo de pesquisadores.  Será exibido um videoclipe, de Mary Pearce, que é parte de um documentário que está sendo produzido sobre o país.

Serviço:

II Fórum Permanente de Reflexão sobre a Arte da América Latina

O Paraguai que nós vemos

Núcleo Arte e Identidade/ CESA

Dia: 03 de dezembro de 2011

Horário:  das 14h00 às 19h00

Promoção: Núcleo Arte Identidade e CESA

Local: Teatro Studio 184

Praça Roosevelt, 184 – Consolação/ São Paulo

Atividade livre e gratuita

Inscrição no local

 

 

  

 

 

Categoria: Notícias / permalink.