Cerimônia do Prêmio ABCA, no Teatro do SESC Vila Mariana, em São Paulo

1. A mestre de cerimônia Laura Wie abre a premiação ABCA no Teatro do SESC Vila Mariana A mestre de cerimônia Laura Wie abre a premiação ABCA no Teatro do SESC Vila Mariana

1.1.1. Troféu ABCA, criação da artista Maria Bonomi Troféu ABCA, criação da artista Maria Bonomi

1.1. Membros da Diretoria ABCA presentes na cerimônia de premiação Membros da Diretoria ABCA presentes na cerimônia de premiação

2. Enock Sacramento recebe o Prêmio Gonzaga Duque entregue  pela crítica Cláudia Fazzolari Enock Sacramento recebe o Prêmio Gonzaga Duque entregue pela crítica Cláudia Fazzolari

3. Annateresa Fabris recebe o Prêmio Sergio Milliet entregue pelo critico Carlos Soulié do Amaral Annateresa Fabris recebe o Prêmio Sergio Milliet entregue pelo critico Carlos Soulié do Amaral

4. Filhos do artista Marcello Nitsche recebem o Prêmio Mário Pedrosa do crítico João Spinelli Filhos do artista Marcello Nitsche recebem o Prêmio Mário Pedrosa do crítico João Spinelli

5. Danilo Santos de Miranda recebe o Prêmio Ciccillo Matarazzo entregue pela presidente da ABCA, Maria Amélia Bulhões Danilo Santos de Miranda recebe o Prêmio Ciccillo Matarazzo entregue pela presidente da ABCA, Maria Amélia Bulhões

6. Lisbeth Rebollo Gonçalves recebe o Prêmio Mario de Andrade entregue pela crítica Daisy Peccinini Lisbeth Rebollo Gonçalves recebe o Prêmio Mario de Andrade entregue pela crítica Daisy Peccinini

7. A curadora Ana Maria Belluzzo recebe o Prêmio Maria Eugênia Franco entregue pela crítica Marisa Bertoli A curadora Ana Maria Belluzzo recebe o Prêmio Maria Eugênia Franco entregue pela crítica Marisa Bertoli

8. O artista Claudio Tozzi recebe o Prêmio Clarival do Prado Valladares entregue pela crítica Leila Kiyomura O artista Claudio Tozzi recebe o Prêmio Clarival do Prado Valladares entregue pela crítica Leila Kiyomura

9. Tadeu Figueiró, Gerente do CCBB São Paulo recebe o Prêmio Rodrigo Mello Franco entregue pela crítica Sylvia Werneck Tadeu Figueiró, Gerente do CCBB São Paulo recebe o Prêmio Rodrigo Mello Franco entregue pela crítica Sylvia Werneck

10. Emanoel Araújo, Diretor Curatorial do Museu Afro Brasil recebe o Prêmio Paulo Mendes de Almeida entregue pela crítica Sandra MakowieckyEmanoel Araújo, Diretor Curatorial do Museu Afro Brasil recebe o Prêmio Paulo Mendes de Almeida entregue pela crítica Sandra Makowiecky

11. A jornalista Bete Pacheco recebe o Prêmio Antonio Bento entregue pelo crítico Ricardo  ViveirosA jornalista Bete Pacheco recebe o Prêmio Antonio Bento entregue pelo crítico Ricardo  Viveiros

12. Antonio Santoro recebe Homenagem entregue pela crítica Simone Abreu Antonio Santoro recebe Homenagem entregue pela crítica Simone Abreu

13. Maureen Bisilliat recebe Homenagem entregue pela crítica Leonor Amarante Maureen Bisilliat recebe Homenagem entregue pela crítica Leonor Amarante

14. Di Bonetti, biógrafa do poeta Paulo Bomfim recebe em seu nome Homenagem entregue pela crítica Alecsandra Matias Di Bonetti, biógrafa do poeta Paulo Bomfim recebe em seu nome Homenagem entregue pela crítica Alecsandra Matias

15. Felipe Chaimovich recebe em nome da crítica de arte Aracy Amaral Destaque ABCA Felipe Chaimovich recebe em nome da crítica de arte Aracy Amaral Destaque ABCA

16. Wolf Kos e equipe do Instituto Olga Kos recebem Destaque entregue pelo crítico Jacob Klintowitz Wolf Kos e equipe do Instituto Olga Kos recebem Destaque entregue pelo crítico Jacob Klintowitz

17. Percival Tirapeli recebe Destaque ABCA entregue pela crítica Isis Braga Percival Tirapeli recebe Destaque ABCA entregue pela crítica Isis Braga

18. Cerimônia do Prêmio ABCA no Teatro do SESC Vila Mariana São Paulo Cerimônia do Prêmio ABCA no Teatro do SESC Vila Mariana São Paulo

19. Danilo Santos de Miranda, Marcelo Araujo e Emanoel Araujo na celebração do Prêmio ABCA Danilo Santos de Miranda, Marcelo Araujo e Emanoel Araujo na celebração do Prêmio ABCA

20. Leonor Amarante, Claudia Fazzolari, Danilo Santos de Miranda e Maria Amelia Bulhoes 20160531_1230 Leonor Amarante, Claudia Fazzolari, Danilo Santos de Miranda e Maria Amelia Bulhoes

21. Maria Amélia Bulhões entrega flores para  Lisbeth Rebollo Gonçalves Maria Amélia Bulhões entrega flores para Lisbeth Rebollo Gonçalves

22. Emanoel Araujo e Takashi Fukushima na premiação ABCA Emanoel Araujo e Takashi Fukushima na premiação ABCA

 

23. Joel Padula  e Sergio Batistelli no Prêmio ABCA Joel Padula e Sergio Batistelli no Prêmio ABCA

 
 
 

CATEGORIA: Sem categoria Comentários desativados

Premiados ABCA 2015

Prêmio Gonzaga Duque (Crítico associado por sua atuação durante o ano)

Enock Sacramento

Enock Sacramento 1

Começou a atuar a partir do final dos anos 1950 como jornalista profissional em Belo Horizonte.  Na década de 1970, trabalhou nos jornais O Estado de S. Paulo,  Jornal da Tarde e Rádio Eldorado.  Participou também de comissões de seleção e premiação de inúmeros salões de arte e apresentou textos críticos em mais de 200 catálogos de exposições de artes visuais.  É autor de 12 publicações sobre arte brasileira, com destaque para a sua pesquisa sobre a obra do artista concretista Luiz Sacilotto.  Participou também de importantes instituições culturais: Fundação José e Paulina Nemirovsky; Conselho de Desenvolvimento Cultural do Estado de São Paulo, e entre outras da Comissão de Averiguação e Avaliação de Projetos Culturais da Prefeitura Municipal de São Paulo.

 

Prêmio Sergio Milliet (Crítico por trabalho de pesquisa publicado)

Annateresa Fabris

Annateresa Fabris_Foto Francisco Emolo Foto: Francisco Emolo.

Pelo livro A fotografia e a crise da Modernidade, editora C/Arte, Belo Horizonte, 2015. Nesta publicação a autora abarca dois grandes temas: “O resgate do efêmero” e “A pintura posta em questão”, o embate entre o uso da fotografia – como meio – para a produção da obra de arte e as implicações entre as diversas tendências  da pop art inglesa e norte americana. O texto é fundamentado em críticas daquele período da passagem da abstração para a figuração, quando o uso da imagem da comunicação em massa – jornais, revistas – teve um papel importante na renovação dos valores plásticos dentro da cultura industrial. Annateresa Fabris é professora titular da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo.Sua trajetória como crítica e historiadora reúne pesquisas sobre fotografia, pintura, Surrealismo e Modernismo.

 

Prêmio Mario Pedrosa (Destinado a artista Contemporâneo)

Marcello Nitsche  

marcelo nietsche

Provocador. A diversidade e a ousadia sinalizam a produção de Marcello Nitsche. Ainda estudante de arte na FAAP, coordenou iniciativas pioneiras como Arte na Praça, na década de 60, momento que propiciou a ida da arte para a rua. Participa de forma significativa da mostra Nova Objetividade, MAM-RJ.  Ganhou visibilidade nas Bienais de São Paulo, onde surpreendeu a todos com o gigantesco inflável Bolha Amarela. Notabilizou-se por intervenções na paisagem de Curitiba e São Paulo. Os anos 80 são marcados pelas Pinceladas, que ganham autonomia e se libertam do suporte da tela. Mereceu recentemente uma mostra retrospectiva no SESC Pompeia. Em 2015 a Tate Modern de Londres organiza a exposição The World Goes Pop, destacando-o entre um dos mais importantes artistas da Pop Art mundial.

 

Prêmio Ciccilo Matarazzo (personalidade atuante no meio artístico)

Danilo Santos de Miranda

Começou a trabalhar no Serviço Social do Comércio (Sesc) de São Paulo em 1963 e, desde 1984, exerce a função de diretor regional da instituição. Formado em Filosofia e Ciências Sociais, realizou estudos complementares de especialização na Pontifícia Universidade Católica e na Fundação Getúlio Vargas de São Paulo e no Management Development Institute, de Lausanne, Suíça. Danilo Miranda atua também como conselheiro em diversas entidades dentre as quais Fundação Itaú Cultural, Fundação Padre Anchieta, Museu de Arte Moderna de São Paulo, Movimento Nossa São Paulo e como membro da Art for the World, com sede na Suíça. Vem participando como conferencista em eventos nacionais e internacionais e recebeu homenagens como a de Comendador da Ordem Nacional do Mérito do Governo Francês e a Grande Cruz do Governo Alemão.

Prêmio Mario de Andrade (crítico de arte pela trajetória)

Lisbeth Rebollo Gonçalves

Lisbeth Rebollo Gonçalves

Socióloga, dedicada ao estudo da história da arte, ensaísta e crítica de arte, foi, em dois mandatos, presidente da Associação Brasileira de Críticos de Arte e diretora do Museu de Arte Contemporânea da USP. Professora Titular da Escola de Comunicações e Artes é autora de diversos livros, entre os quais: Aldo Bonadei: Percursos Estéticos. São Paulo: Edusp/Imprensa Oficial, 2012; Entre Cenografias, o Museu e a Exposição de Arte no Século XX, editado pela EDUSP/FAPESP em 2004; Sergio Milliet, Crítico de Arte. São Paulo: PERSPECTIVA, 1992. Organizadora do Congresso Internacional da AICA no Brasil, em 2007, e dos Anais do referido encontro. Colaboradora, como crítica e editora correspondente, da Revista Artnexus. Foi curadora de diversas mostras como as retrospectivas de Rebolo, Aldo Bonadei, Roberto Burle Marx,  e Paris Anos 20Arte e Natureza, entre outras.

 

Prêmio Clarival do Prado Valadares (Artista pela trajetória)

Claudio Tozzi

Claudio TozziImagem: Cecília Bastos

Artista da geração dos anos 1960, começou nas artes, pregando os retratos de Che Guevara que ele mesmo reproduzia nos muros de São Paulo e registrando as manifestações dos estudantes nas ruas contra a ditadura. Nas primeiras obras, Tozzi dialoga com a arte pop. Trabalha com temáticas políticas e urbanas. Em 1967, seu painel Guevara Vivo ou Morto, exposto no Salão de Arte Contemporânea é destruído por um grupo de extrema direita. Obra que o artista fez questão de restaurar anos depois. Tozzi é formado pela FAU/USP, onde atua como professor. No decorrer das últimas cinco décadas, integra arte e arquitetura. Desde a Zebra na Praça da República em 1972 e a Colcha de Retalhos na praça da Sé, em homenagem às artesãs da periferia, dedica-se à arte pública. Vem expondo no Brasil, nos países da América Latina e também nos Estados Unidos, Canadá, Japão, Espanha, Itália, Alemanha e Inglaterra.

 

Prêmio Maria Eugênia Franco (curadoria e exposição)

Ana Maria Beluzzo

Na curadoria da exposição Lig-Des Marcelo Nitsche, apresentada no Sesc Pompeia, de 19 de junho a 30 de agosto de 2015, Ana Maria Beluzzo apresenta a trajetória do artista desde a década de 1960.   Ana Beluzzo é professora titular de História da Arte da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Crítica, pesquisadora e curadora independente, é membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte; do Comitê Brasileiro de História da Arte; do comitê de pesquisa do International Center for the Arts of the Americas do Museum of Fine Arts, Houston; do Conselho de Orientação Artística da Pinacoteca do Estado de São Paulo; coordena o comitê brasileiro do projeto “Documents of 20th Century of Latin American and Latino Art”, junto à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.

 

Prêmio Rodrigo Mello Franco (instituição pela programação)

Centro Cultural do Brasil

CCBB_SP  photo Mislene Martins

Os CCBBs estão localizados em Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo. São espaços multidisciplinares com programação regular nas áreas de artes cênicas, cinema, exposição, ideias (palestras, debates, seminários, etc.), música e programa educativo.  Desde a fundação do primeiro Centro  Cultural no Rio de Janeiro em 1989, o Banco do Brasil posicionou-se como empresa de vanguarda na atuação em cultura. Além da qualidade e da regularidade – valores que garantiram aos CCBBs  o reconhecimento de suas atuações em diversos prêmios, publicações e reportagens – a gratuidade e os preços acessíveis permitem o desempenho crescente de público, configurando os Centros e suas realizações no ranking das principais instituições culturais do mundo. Em  26 anos de atuação, suas unidades receberam mais de 74 milhões de visitantes, com a realização de 3.600 projetos e mais de 12 mil de eventos, consolidando-se como um dos principais centros culturais no cenário brasileiro e internacional.

 

Prêmio Mendes de Almeida (destinado à organização de exposição)

Africa Africans

Africa Africans foto 2

O Museu Afro exibiu, entre 25 de maio a 30 de agosto de 2015, aquela que foi a maior mostra de arte contemporânea já realizada no País. Africa Africansarte contemporânea com uma programação que incluía instalações, pinturas, vídeos, esculturas, moda e encontros com os artistas, foi inaugurada em celebração ao Dia Internacional da ÁfricaA coletiva exibiu cerca de 100 obras, de mais de 20 artistas, em diversos suportes e linguagens, além de outras obras de arte africana, pertencentes ao acervo do museu e à coleção particular de Emanoel Araújo, diretor curatorial do Museu. A mostra esteve centrada na criação de artistas africanos, nascidos e residentes no continente ou fora dele, assim como artistas de origem africana que, mesmo tendo nascido fora da África, dialogam com a pluralidade de experiências estéticas e sociais presente nas diversas regiões do continente.

 

Prêmio Antônio Bento (destinado a veículo de divulgação)

Globo News em Pauta

Programa de televisão produzido pela Globo News tem duração de uma hora. O enfoque principal é a análise dos fatos marcantes que inclui também um roteiro cultural que prioriza as exposições em cartaz na cidade. Apresenta também comentários de jornalistas localizados em São Paulo, Brasília e Nova York. O telejornal é exibido de segunda a sexta-feira das 20h00 às 21h00 com reprise das 01h30 às 02h30. Em cada programa, há três comentaristas — um para cada cidade citada. Em casos especiais, um dos comentaristas pode estar no estúdio junto ao apresentador. Em algumas vezes, são feitas entrevistas no estúdio do Em Pauta abrangendo política, economia e cultura.

CATEGORIA: Sem categoria Comentários desativados

Homenageados Prêmio ABCA 2015

 

Antônio Santoro Júnior

Paulistano. Santoro, como é mais conhecido, tem uma trajetória pontual na cidade. Há mais de 40 anos leciona Estética e História da Arte, no Centro Universitário Belas Artes SP, anteriormente Faculdade de Belas Artes SP. Além da dedicação como professor, crítico de arte e museólogo tem muito orgulho quando encontra seus ex-alunos integrando a ABCA e AICA como críticos e se projetando como artistas. Quando lhe perguntam por que decidiu se dedicar ao ensino da arte,  lembra que descende de uma família de circo teatro, onde iniciou desde criança, suas vivências artísticas que,  com certeza, o influenciaram na escolha profissional. Em 2009 foi curador da obra “Gota Sagrada” da escultora Yone D’ Alerige, que ganhou o 1º prêmio (Lourenço de Médici) da 7ª Bienal de Arte Contemporânea de Florença na Itália. Santoro atua ainda como pesquisador, além de elaborar apresentações críticas de artistas e participações em júris artísticos em São Paulo e outras cidades.

Paulo Bonfim

Poeta maior de São Paulo, transcendeu essa condição para atuar também forma brilhante na vida cultural e no jornalismo. Sua contribuição não pode ser esquecida, e esta é a razão da homenagem que a ABCA lhe presta. Em sua jornada, a convivência com artistas e intelectuais desde a infância foi decisiva, e é relembrada em suas crônicas, organizadas por Ana Luiza Martins sob o título de Insólita Metrópole. Nessa obra, em que as memórias do poeta dialogam com uma rica iconografia da paisagem fisica e social da Capital Paulista na primeira metade do século 20,  renascem as cenas familiares, os encontros nos bares, nos clubes, nas livrarias e nas exposições de arte, perpassados de empatia e lirismo. Hoje, decano da Academia Paulista de Letras, continua a fazer semanalmente, na Rádio Cultura, seus “passeios da memória” para deleite de seus amigos e admiradores.

 

Maureen Bisilliat

Maureen Bisilliat.

Raros fotógrafos brasileiros têm a dimensão de Maureen Bisilliat. Multimídia, seu trabalho transcende a fotografia e abrange a vídeo arte, filme e a edição de livros. Autora, desde os anos 1950, de projetos relevantes como os que desenvolveu com o escritor Jorge Amado e que lhe inspiraram para realizar outros trabalhos sobre obras literárias nacionais, Maureen é incansável. Percorreu o sertão de Minas Gerais em busca de imagens que dialogassem com Grande Sertão: Veredas, obra-prima de Guimarães Rosa. Sua objetiva registrou com autoridade imagens de indígenas, sertanejos e gente ribeirinha que, por muitas vezes, deram apoio conceitual à antropologia e a obras da literatura. Sua obra completa está incorporada ao acervo do Instituto Moreira Salles, num total de 16.251 imagens, entre fotografias, negativos em preto e branco e cromos coloridos.

CATEGORIA: Sem categoria Comentários desativados

Destaques Prêmio ABCA 2015

Instituto Olga Kos Inclusão Cultural

OLga Kos

Destaca-se por realizar  uma tarefa exemplar de inclusão social. Trabalha com pessoas com deficiência intelectual e utiliza dois instrumentos ancestrais e belos para este esforço: o esporte e a arte. Desta maneira o IOK criou uma metodologia única, e, além de ganhar todos os prêmios nacionais nesta área, cede este saber para as várias instituições congêneres. Nos últimos anos o IOK criou uma coleção de livros de arte que, em 2016, contemplará o 20º artista brasileiro. São livros notáveis, pela qualidade literária e formal e que constelam artistas do porte de Marcello Grassmann, Claudio Tozzi, Antonio Peticov, Guto Lacaz, Caciporé Torres, Inos Corradin, Gustavo Rosa, Yutaka Toyota, Neto Sansone, Mario Gruber, Rubens Matuck, Gregório, Takashi Fukushima, Ivald Granato, Marysia Portinari, Eduardo Iglesias, Isabelle Tuchamb e  Sara Belz. É a razão deste destaque pela ABCA.

 

Percival Tirapeli

Percival Tirapeli retrato divulgação

Paulista de Nhandeara é professor titular em História da Arte Brasileira no Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista desde 1987. Mestre e doutor pela Escola de Comunicações e Artes da USP, defendeu tese sobre sua obra como artista plástico Mitopoemas: oito mitos gregos, em 1989. Realizou pós-doutorado na Universidade Nova de Lisboa (2007) e publicou cerca de  vinte livros desde 1999 sobre arte brasileira, tendo recebido o prêmio Sérgio Milliet em 2003 pela pesquisa e publicação de Igrejas Paulistas Barroco e Rococó. Foi vice-presidente da ABCA, e em 2014 acolheu o acervo bibliográfico da ABCA no IA/Unesp, dando-lhe residência e acesso permanentes. Como artista plástico atua desde os anos 1970, e em 2015 realizou a exposição Trajetória, 40 anos de arte, acompanhada de catálogo.  Criou e mantém, na UNESP, acervo digital sobre arte brasileira.

Aracy A. Amaral

Crítica, curadora e historiadora da arte, a paulistana Aracy Amaral tem uma trajetória marcada pelo incentivo e difusão da arte brasileira. É professora titular na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo. Foi bolsista da Fapesp e Fundação C. Gulbenkian. Atuou como diretora da Pinacoteca do Estado e Museu de Arte Contemporânea da USP. Em 1977, recebeu o  John Simon Guggenheim Fellowship e, em 2006, ganhou o prêmio Fundação Bunge  por sua contribuição à área de Museologia. Além de ter organizado diversas exposições importantes foi coordenadora-geral do Projeto “Rumos” Itaú Cultural (2005- 2006). Integrou a equipe de curadores da 8ª Bienal do Mercosul e da Trienal do Chile, atuou como membro do Comitê Internacional de Premiação do Prince Claus Fund, em Haia, na Holanda 2002-2006. Escreveu  e organizou cerca de 25 livros, desde 1970,  sobre arte na América Latina e arte brasileira, em particular, sobre o Modernismo e seus artistas.

CATEGORIA: Sem categoria Comentários desativados

Prêmio ABCA divulga a lista dos vencedores de 2015

A Associação Brasileira de Críticos de Arte – ABCA – divulga os nomes dos artistas visuais, curadores, críticos, autores e instituições culturais vencedores da edição 2015 do Prêmio ABCA (segue lista abaixo). A apuração dos votos foi realizada na sexta-feira, 29 de abril, no MuBE – Museu Brasileiro da Escultura – em São Paulo.

O prêmio contempla dez categorias que apontam os destaques do cenário das artes visuais que mais contribuíram para a cultura nacional no ano passado.

Neste ano, o troféu é uma homenagem de Maria Bonomi a todos os premiados. A escultora, gravadora, professora da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo criou uma peça especialmente para os artistas, críticos e pesquisadores que se destacaram em 2015. O prêmio será entregue no dia 31 de maio, às 20h, em cerimônia no SESC Vila Mariana. A ABCA põe em evidência personalidades por meio de homenagens e aponta destaques no cenário das artes plásticas.

 

PREMIADOS

 

Prêmio Gonzaga Duque (crítico pela atuação durante o ano ou publicação – filiado)

Enock Sacramento

 

Prêmio Sérgio Milliet (autor por pesquisa publicada)

Annateresa Fabris pela publicação do livro “A fotografia e a crise da Modernidade”, da Editora C/Arte

 

Prêmio Mário Pedrosa (artista de linguagem contemporânea)

Marcello Nitsche

 

Prêmio Ciccillo Matarazzo (personalidade atuante no meio artístico)

Danilo Santos de Miranda

 

Prêmio Mário de Andrade (crítico pela trajetória)

Lisbeth Rebollo Gonçalves

 

Prêmio Clarival do Prado Valladares (artista pela trajetória)

Claudio Tozzi

 

Prêmio Maria Eugênia Franco (curadoria pela exposição)

Ana Maria Belluzzo

 

Prêmio Rodrigo Mello Franco de Andrade (instituição pela programação e atividade no campo da arte)

Centro Cultural Banco do Brasil

 

Prêmio Paulo Mendes de Almeida (melhor exposição)

Africa Africans

 

Prêmio Antônio Bento (difusão das artes visuais na mídia)

Globo News em Pauta

 

Homenagens: Antonio Santoro, Maureen Bisilliat, Paulo Bomfim

 

Destaques:  Aracy Amaral, Instituto Olga Kos Inclusão Cultural, Percival Tirapeli 

 

CATEGORIA: Sem categoria Comentários desativados